Saídas

Consulte aqui toda a informação sobre as nossas saídas de mergulho. Os melhores mergulhos nos melhores locais de mergulho de Portugal Continental, Açores, Madeira e Cabo Verde.

Próximas Saídas

Encontre a experiência perfeita de mergulho.

Os Nossos Locais

Descubra todos os nossos locais

Ilhéu Maldito

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 20 metros
PADI OWD (ou equivalente)

Na face Este da Iha da Berlenga existe um rochedo que pelo seu comportamento ameaçador com mau tempo ganhou o título de Ilhéu maldito. O carreiro que separa esse rocheda da ilha tem o mesmo nome e é, em dias calmos um local fantástico para o mergulho. Têm as águas mais azuis da Berlenga, logo para começar. Dispõe de 3 grutas, sendo uma delas a maior gruta de todo o arquipélago, famosa por ficar cheia de peixe-porco nas épocas habituais. Tem também uma zona rampeada onde se vêm habitualmente grandes cardumes de Sargos a brincar na água branca e os pelágicos, como Bogas têm também o seu papel dentro da baía. O mergulho faz-se da superfície até aos 20 metros de profundidade.

Cova do Sono

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 12 metros
PADI OWD (ou equivalente)

Este é o mergulho mais simples das Berlengas. A cova-do-sono é uma baía abrigada, com profundidade máxima de 12 metros e na qual muitas vezes nos encontramos a profundidades de 2 metros. Isto pode dar a ideia de um mergulho desinteressante mas não é de todo assim. A cova-do-sono tem grutas com grandes habitantes ( Abróteas e Lavagantes), tem várias paredes cheias de buracos para inspeccionar, óptimas para fotos “macro” , tem zonas de alimentação em que chega a ser impressionante a quantidade de Sargos, Salemas e Safias que se juntam em cardumes que parecem não ter fim. Para completar o quadro é frequente a incursão de pelágicos na baía, caso dos Charéus e grandes Chicharros, que se vêm alimentar dos cardumes de pequenos peixes que aí procuram abrigo. Tudo isto faz com que a Cova-do-sono seja frequentemente escolhida como segundo mergulho do dia, quando os mergulhadores procuram um mergulho mais calmo mas com muitos pontos de interesse. É um mergulho sem corrente significativa, com visibilidade habitual de 10/15 metros.

Tromba do Elefante

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 13 metros
PADI OWD (ou equivalente)

Quando o mar não permite mergulhos expostos ou se pretende uma experiência tranquila o mergulho da Tromba é sempre uma alternativa válida. A parede sul da Berlenga é, junto a esta ponta, repleta de pequenas grutas e quando a água corre há sempre cardumes de peixes a alimentar-se.

Flandres

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 15 metros
PADI OWD (ou equivalente)

Um dos mergulhos mais fáceis da Berlengas, mas não menos interessante. O mergulho começa num fundo de areia onde os ruivos são comuns, havendo logo perto uma pequena caverna onde poderá encontrar abroteas. Cardumes de salemas e safias são comuns, passando ainda pelos destroços de um pequeno naufrágio onde os polvos são comuns.

Primavera

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 24 metros
PADI OWD (ou equivalente)

O destroço do Primavera é o mergulho em destroço mais facilmente exequível nas Berlengas. A sua localização protegida permite que se consiga mergulhar lá quando muitas vezes não se consegue fazê-lo noutros locais. Apesar de bastante destruído o Primavera consegue transmitir ainda a magia de mergulhar num destroço. Para além dos habituais residentes ( Abróteas, Salmonetes, Bodiões e Lavagantes) o Primavera é habitualmente frequentado por cardumes de Sargos, Peixes-galo, Pargos e até Peixes-lua.

Vapor do Trigo - Andreos

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 26 metros
PADI AOWD (ou equivalente)

Mais um destroço relativamente abrigado, perto da Berlenga, que se pratica mesmo em alturas em que outros pontos estão interditos pelo tempo. A zona mais interessante fica junto às caldeiras, habitada por grandes residentes mas o cavername tem também muitos buracos interessantes para explorar. Tem habitualmente grandes Pargos que passeiam isolados ou em pequenos cardumes. Para além disso, como fica numa zona de confluência de correntes é habitual ver Peixes-lua a meia água.

Rinchão

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 32 metros
PADI AOWD (ou equivalente)

Esta baixa a Norte da Berlenga, perigosa para a navegação, é um fantástico ponto de mergulho. A cabeça chega a sair da água nas grandes marés e tem uma rampa em que a água sobe e o peixe se alimenta e que vai até aos 30 metros. A quantidade de peixe é frequentemente enorme, Sargos, Saimas, Robalos, Lírios e Peixe-porco são frequentes. No fundo há paredes cobertas de gorgónias vermelhas ( Paramuricea Clavata ) e um destroço, o Gomes VIII, do qual podemos ver a caldeira, bocados do motor e ainda cavername. É um mergulho exposto e com frequente corrente.

Parede Rinchoa

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 35 metros
PADI AOWD (ou equivalente)

Como o nome indica esta parede fica perto do Rinchão. Consta de uma cabeça que começa aos 13 metros e depois vai até aos 35. A parede é virada a norte e tal como o Rinchão tem Gorgónias vermelhas. Tem também grutas habitadas por grandes Safios e é uma zona em que se podem avistar Grandes Robalos junto ao fundo e Lírios nas partes mais altas.

Baía do Cerro do Cão

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 25 metros
PADI OWD (ou equivalente)

Esta baía fica na parte norte da Berlenga, contígua a um rochedo que tem a silhueta de um cão deitado. É uma baía recortada por canyons, sempre paralelos ao rochedo e o mergulho faz-se de uns canyons para os outros. Há umas passagens muito interessantes em que por vezes ficamos debaixo de arcadas. Nas paredes mais batidas junto à Berlenga há sempre muito peixe e é frequente verem-se cardumes de pequenos pelágicos a meia água.

Quebradas

Peixes
Dificuldade
Prof. Max. 16 metros
PADI OWD (ou equivalente)

Na face NW da Berlenga, este é um spot que se pratica apenas em dias de mar calmo e sem vento. Local de perfil muito selvagem com canyons muito abruptos e ricos em cardumes de Sargos na "água branca". As visibilidades são frequentemente de 15 metros + .